Sedentarismo eleva o risco de desenvolver doenças

10 de maro de 2021 - 08:40

Em novembro de 2020, a OMS publicou as novas diretrizes sobre atividade física e sedentarismo. Com a atualização, o recomendado é que se faça de 150 minutos de atividade física intensa ou 300 de atividade física moderada semanalmente para manter o corpo saudável.

Entretanto, no Brasil, estamos muito distantes de fazer o mínimo necessário: somos o país mais sedentário da América Latina. Segundo o IBGE, 40,3% da população adulta não pratica atividades físicas.

O corpo humano não foi feito para a inércia. Não basta cuidar da alimentação ou fazer exames regularmente e levar uma vida sedentária. Em 2015, um estudo do American Journal of Clinical Nutrition constatou que o índice de mortalidade de pessoas gordas que se exercitavam era mais baixo que o de pessoas magras.

Além do ganho de peso, que costuma ser uma motivação para fazer exercícios, o sedentarismo pode levar a ao aumento do colesterol e da pressão arterial, problemas cardiovasculares, diabetes tipo 2, distúrbios do sono, atrofia muscular e problemas nas articulações.

Com a saúde física enfraquecida, aumenta-se também o risco de desenvolver problemas psicológicos, como ansiedade e depressão. Portanto, manter o corpo humano ativo é fundamental para prevenir doenças e obter qualidade de vida.

Durante a pandemia, com o isolamento social, nos tornamos ainda mais sedentários, o que pode agravar nosso quadro de saúde não só a longo prazo mas também caso haja infecção por coronavírus. Por isso, é essencial que encontremos formas de nos exercitarmos, mesmo sem sair de casa.

Procure um médico para verificar seu estado de saúde e um profissional de educação física para te orientar sobre a melhor forma de realizar seus exercícios e evitar lesões. Para se acostumar, comece aos poucos com curtas caminhadas ou atividades leves diárias e vá aumentando o tempo conforme ficar mais resistente. Não é preciso ir à academia para isso.

O sedentarismo é um grande mal que afeta o corpo humano de diversas formas e impacta diretamente na nossa longevidade.

Cuide bem da sua saúde: mexa-se!

Todos os direitos reservados © 2016.
Agência Nacional de Saúde Suplementar ANS - N° 31390-4