Dia Nacional de Combate ao Colesterol: Riscos da doença e formas de prevenção

No Brasil, as doenças cardiovasculares são uma das principais responsáveis pelos óbitos registrados.

Um dos grandes vilões associados a elas é o colesterol, mas você sabia que ele  é um conjunto de gorduras necessárias para manter um bom funcionamento do organismo? No entanto, quando desregulado, pode levar a quadros de infarto ou insuficiência cardíaca.

Para celebrar o Dia Nacional de Combate ao Colesterol, preparamos este artigo com os principais riscos dessa taxa elevada e formas de prevenção!

Níveis altos de colesterol LDL

Também conhecido como “colesterol ruim”, o LDL, na verdade, contribui para a formação de hormônios, vitamina D e bile. Ele é, portanto, importante para manter o corpo funcionando, desde que dentro dos valores desejáveis.

No entanto, quando ele está elevado, pode acumular-se nos vasos sanguíneos e favorecer a formação de placas de gordura, o que pode restringir a passagem de sangue e aumentar o risco de acidentes vasculares cerebrais (AVCs) e infarto.

As gorduras ruins (saturadas e trans) estão presentes em alimentos de origem animal, como: carnes vermelhas e brancas com gordura aparente e em produtos lácteos.  O azeite de dendê também faz parte desta lista, entre outros. O importante é consumir os alimentos de forma moderada e consciente para manter os níveis de gordura dentro dos limites permitidos.

Níveis altos de colesterol HDL

Conhecido como “colesterol bom”, o HDL pode diminuir os riscos de AVCs e problemas cardíacos. Ele é responsável por retirar o excesso de colesterol da circulação, levando-o de volta ao fígado.

Porém, algumas vezes, ele pode estar elevado por decorrência de mutações genéticas, alcoolismo crônico, cirrose biliar, hipertireoidismo ou alguns tipos de medicamentos. Por isso, o acompanhamento médico é crucial para realizar uma análise minuciosa das suas taxas.

Exemplos de alimentos que apresentam gorduras boas (insaturadas):  abacate, ovo, oleaginosas (amêndoa, amendoim, avelã, nozes, castanha-do-pará, pistache, castanha-de caju, entre outras), óleo de coco, peixes, sementes, azeite de oliva extra virgem, chocolate amargo e carne de porco, principalmente o lombo.

Mas por que os níveis de colesterol ficam altos?

Em adultos, normalmente os níveis altos de colesterol estão associados à obesidade, alimentação inadequada — com excesso de gordura saturada e trans — e falta de exercícios físicos. Além disso, fatores hereditários também podem determinar uma elevação nas taxas de colesterol mesmo em pessoas com hábitos saudáveis.

Como manter as taxas de colesterol sob controle?

Pratique exercícios físicos de forma regular, principalmente os aeróbicos, e alie-os a uma alimentação balanceada, evitando gorduras e açúcares. Além disso, realize check-ups de acordo com orientação do seu médico para ter um bom acompanhamento das suas taxas.

Pessoas com histórico de hipertensão e diabetes na família necessitam de um cuidado maior e devem realizar esses exames de forma mais frequente. Além disso, elas podem precisar de indicação de remédios para ajudar na diminuição dos níveis de colesterol.

Navegue pelo nosso site https://www.eletrossaude.com.br e descubra os planos de saúde do Eletros-Saúde e fique em dia com as suas taxas!  

 

 

Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no site. Ao utilizar o www.eletrossaude.com.br você estará de acordo com os critérios de monitoramento dos cookies. Para ter mais informações como isso é feito, acesse a Política de Privacidade. Se você concorda, clique em ACEITO.

Todos os direitos reservados © 2016.
Agência Nacional de Saúde Suplementar ANS - N° 31390-4