Prevenção e combate: Rio está em alerta para infestação do mosquito Aedes aegypti

16 de maio de 2022 - 16:53

Um velho conhecido do carioca, e de toda a população brasileira, está de volta e já preocupa autoridades de saúde pública: trata-se do mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como Dengue, Zika e Chikungunya.

O primeiro Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) realizado no município após a pandemia de Covid-19 mostrou que, das 250 áreas pesquisadas, seis estão em nível de risco. O número pode parecer baixo, mas foi o suficiente para levar o Rio ao estágio de alerta para infestação pelo mosquito.

Conscientizar a população e focar em estratégias de prevenção são peças-chave para evitar que o problema se espalhe por outras cidades. Confira abaixo os principais sintomas da Dengue, Zika e Chikungunya, além de ações que ajudam a prevenir as doenças.

Dengue

A maior parte das infecções é assintomática. Os sintomas, quando aparecem, costumam evoluir seguindo três padrões:

  • Similar à gripe
  • Com sinais de alarme, trazendo alterações à coagulação sanguínea
  • De forma grave, que leva à morte quando não há atendimento rápido e especializado

No geral, a dengue clássica é manifestada por febre alta (39º a 40º), junto à dor de cabeça, fadiga, vermelhidão no corpo, coceira, dores musculares, nas articulações e atrás dos olhos.

Zika

Cerca de 80% das pessoas infectadas não têm sintomas. Quando aparecem, os mais comuns são:

  • Dor de cabeça
  • Febre
  • Manchas vermelhas na pele
  • Coceira
  • Vermelhidão nos olhos
  • Dores leves nas articulações

Os sintomas costumam desaparecer após 3 a 7 dias. No entanto, a dor nas articulações pode persistir por aproximadamente um mês.

Chikungunya

Os sintomas da Chikungunya aparecem entre dois e doze dias após a picada do Aedes aegypti. Os mais recorrentes são:

  • Febre alta
  • Dor de cabeça
  • Manchas vermelhas na pele
  • Dores intensas nas articulações

Não é possível ter Chikungunya mais de uma vez. Após a infecção, a pessoa desenvolve imunidade para o resto da vida.

Dicas de combate ao Aedes aegypti

Prevenir o aparecimento de larvas e mosquitos é importante para quebrar a cadeia de infecção. Para isso, é preciso seguir uma estratégia local e global, que contemple os cuidados individuais em casa e ações de maior escala em escolas, empresas e espaços públicos. Veja abaixo como você pode fazer a diferença na luta contra o Aedes aegypti:

  • Verifique se a caixa d’água está bem vedada
  • Deixe as lixeiras bem tampadas
  • Coloque areia nos pratos de plantas
  • Cubra piscinas
  • Limpe as calhas
  • Tampe os ralos
  • Limpe a bandeja coletora de água do ar-condicionado
  • Tenha atenção aos focos de água parada

Caso sinta algum sintoma ou suspeite que foi infectado pelas doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, procure uma unidade de saúde e siga as recomendações médicas.  

Fontes:

Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no site. Ao utilizar o www.eletrossaude.com.br você estará de acordo com os critérios de monitoramento dos cookies. Para ter mais informações como isso é feito, acesse a Política de Privacidade. Se você concorda, clique em ACEITO.

Todos os direitos reservados © 2016.
Agência Nacional de Saúde Suplementar ANS - N° 31390-4